Servidores finalizam XI Seminário com perspectiva de novas lutas em defesa dos educadores

foto principal

Este ano, o XI Seminário da Asseec foi realizado no Condomínio Espiritual Wirapuru (CEU), no bairro Castelão. Foram grandes momentos que tiveram início às 8h com a palestra do coach Tilson Bataglia. O pesquisador reconheceu que o processo da terceira idade não é idêntico para todos, mas destacou pontos como limitações de cada ser que atinge a terceira idade.

Para o estudioso, políticas públicas devem ser aplicadas em favor dos idosos. Bataglia também assegurou que envelhecer saudável requer fatores que nem sempre os cidadãos têm acesso e, criticou a ideia que o idoso é um ser improdutível, defendendo que o ancião deve ter uma vida produtiva não somente no espaço interpessoal como em projetos sociais.

A falta de reposição salarial foi apresentada pelo economista Claudio Fontenele que, além de fazer um comparativo dos mandatos do governo Cid Ferreira Gomes acerca do tema, alertou os servidores para os impactos financeiros, sempre mostrando os reais prejuízos do não cumprimento constitucional que garante a reparação das perdas nos vencimentos dos trabalhadores.

Diante da atual conjuntura política que reduz drasticamente os recursos para a Educação, o professor João Monlevade fez suas considerações em defesa da mobilização e do processo associativo a entidade representativa. Durante a discussão, o ex-secretário Idilvan Alencar e o atual gestor da Seduc Ceará, Roger Vasconcelos, também compuseram a mesa. Um debate valioso com a vivência de Monlevade no MEC e do professor Idilvan como ex-presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

No período da tarde, após a ginástica laboral, os participantes assistiram à palestra do sindicalista e engenheiro agrônomo Dimas Oliveira que, na ocasião, exibiu uma retrospectiva do plano “Novo Issec”. Dimas destacou que foram várias reuniões até chegar ao objetivo prioritário – a reorganização da autarquia. Questões financeiras que antes eram consideradas inseguras foram modificadas.

A partir da mudança com a publicação da Lei 16.530, o governo terá que liberar um aporte inicial de R$ 120 milhões para o Issec, todavia, conforme emenda parlamentar, o valor será corrigido anualmente. Além disso, será criado um conselho de beneficiários. O tema foi debatido pelos coordenadores do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec), deputado estadual Carlos Felipe (PCdoB)

O evento foi finalizando com a palestra do presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (Aspramece), Advogado Pedro Queiroz, apresentando um estudo sobre a segurança do cidadão, e pontuando os desafios e possibilidades. A presidente da Associação dos Servidores da Secretaria de Educação do Estado Ceará (Asseec), Ritinha Bacana, agradeceu a participação de todos, reafirmando o compromisso de novas lutas em defesa de todos os educadores.

 

 

Author: Jefferson Abreu

Compartilhe


Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *